BRASIL EM RECORTES

O PT NÃO É ISSO

Assim como manifestei meu repúdio às práticas fascistas levadas a efeito por eleitores de Aécio Neves contra Chico Buarque de Holanda, por exemplo, em restaurante do Leblon, no Rio de Janeiro, faço-o aos supostos militantes do Partido dos Trabalhadores contra a jornalista Miriam Leitão, colunista do jornal O GLOBO, no sábado 10, durante voo entre Brasília e Rio de Janeiro.

É lamentável que o clima de ódio reinante no país   ---   e largamente fomentado pelo jornalismo da emissora, diga-se em tempo   ---   tenha resultado num ataque pessoal à referida profissional, mesmo sabendo-se da forma tendenciosa com que Míriam Leitão tem produzido sua "leitura" da realidade brasileira nos últimos anos, escancaradamente marcada pela incontida intolerância ao PT e aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

Nada justifica fatos dessa natureza, os quais vão de encontro à cartilha do PT e exemplificam metodologias de militância atrasadas e inconsequentes.

No momento em que o PT busca alternativas de superação para as dificuldades que vem enfrentando, com chances reais de renascer das cinzas, como mostram as pesquisas de opinião para 2018, não é saudável para o partido o que houve dentro da aeronave da Avianca contra a colunista da emissora. O PT não é isso, e, confirmada a participação de delegados do partido, deve punir exemplarmente os envolvidos. O ódio de que têm sido vítimas Lula e seus liderados não deve ser combatido com manifestações de ódio. O fascismo que toma conta do país não tem (e nem deverá ter) as cores do PT.

SIMBÓLICO

Nem mesmo Miguel Reale Jr., patrono do golpe contra a presidente Dilma Rousseff, pôde suportar o "murismo" do PSDB, que mais uma vez resolveu adiar a decisão de sair ou permanecer no governo Temer. O renomado jurista, que ocupou o Ministério da Justiça no governo de Fernando Henrique Cardoso, oficializou seu pedido de desfiliação do partido com argumentos que dispensam comentários: -- "O partido poderia dar o apoio no Congresso a elas [reformas trabalhista e da previdência] mesmo estando fora da gestão. O que existe é um acordo espúrio com Temer em troca de apoio a Aécio [Neves]. Isso é inadmissível"   ---   afirmou. Alguém discorda?

IMÊMORE

Dias depois de negar ter usado avião da JBS em voo São Paulo/Comandatuba/São Paulo, em viagem particular ao lado da mulher e do filho, pelo que foi levado a se corrigir em nota oficial do Planalto, logo em seguida, o presidente Michel Temer dá provas de andar mesmo esquecido.

Além do jato de Joesley Batista, descobriu-se nova ilicitude aeronáutica do golpista. É que Temer utilizou, em 2014, quando ocupava a Vice-Presidência, um helicóptero de empresa privada em viagem de ida e volta entre São Paulo e Tietê (SP), cidade em que nasceu, para receber homenagem de seus conterrâneos. A aeronave é de propriedade de uma empresa de Vanderlei de Natale, que está sendo investigado na Operação Lava-Jato por envolvimento em atos de corrupção. Engraçado, não fosse ridículo, é que Temer afirmou tratar-se de um helicóptero da FAB, mas teve de recuar depois que fotos da aeronave, em que aparece o presidente, foram divulgadas pelo site do jornal Zero Hora.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário