Sabalincoln

Durante 34 anos ininterruptos, escritores, jornalistas e intelectuais de diferentes extrações reuniram-se no Rio de Janeiro, todos os sábados, na casa do advogado Plínio Doyle, para discutir os mais variados assuntos, exceto política e religião. Esses encontros se tornariam conhecidos como 'sabadoyles' e contavam com nomes importantes da literatura brasileira, como Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Rachel de Queiroz, Pedro Nava e Lygia Fagundes Telles. E muitos outros, claro, da chamada intelligentzia brasileira de cujos nomes não me recordo agora. O fato, que entraria para a história da nossa literatura e ensejaria inúmeros estudos stricto sensu, inspirou eventos similares Brasil afora. Inclusive no Ceará, em diferentes épocas.
 
Nos dias atuais, é conhecido o 'sabalincoln', de que tenho a satisfação de fazer parte, e que, como o nome indica, acontece todos os sábados pela manhã na casa do médico, intelectual e cinéfilo Cesar Lincoln. Do grupo, fazem parte críticos de cinema, jornalistas, médicos, professores, advogados e antigos articulistas de jornal. Os mais assíduos são L. G. de Miranda Leão, Enondino Bessa, Mourão Cavalcante, Francisco Tavares, Augusto Câmara, Regis Frota e eu.
 

 Na contramão dos encontros de Plínio Doyle, todavia, ainda não conseguimos suprimir da pauta o debate político, que, embora se dando todas as vezes no mais elevado nível, deixa a ver a heterogeneidade do grupo em termos ideológicos. O mais relevante, no entanto, é que nos 'sabalincolns' o que mais se faz é cultivar a arte da convivência. E ficar em dia com as coisas da sétima arte, em que pontuam os grandes filmes de todos os tempos, de George Stevens a Scorsese, de Fritz Lang a François Truffaud, de Hitchcock a Godard, não importa. A exigência é que estejam na pauta as mais altas realizações do cinema mundial da sua origem à contemporaneidade.
 
À frente, o anfitrião Cesar Lincoln, a quem, com justiça, se poderia perfeitamente dirigir as mesmas palavras ditas por Drummond sobre Doyle, posto que lhe "cabem todos os méritos de receber, distrair, alimentar e, às vezes, por que não?, suportar com tolerância cristã as caceteações de um conviva menos obediente as leis da concisão e do gosto".
 
Num tempo em que é delicada a linha que separa o bom debate da cizânia, a firmeza de ideias da intransigência, o entusiasmo da paixão intolerante, os nobres ideais dos interesses mesquinhos e inconfessáveis, é bom estar entre pessoas sérias, inteligentes, cultas e invariavelmente gentis e elegantes como os integrantes do sabalincoln, parte do combustível com que se revigora, entre nós, o bom gosto e a sensibilidade para as coisas da cultura do Ceará, do Brasil e do mundo.
 
 
 
   
           

Um comentário:

  1. Olá, Álder!

    Antes de tudo, parabéns por esses encontros semanais com gente que notadamente só nos têm a acrescentar. É uma experiência que gera frutos, enfim. Penso em algo semelhante pra mim, mas não no momento e nem aqui, em terras bandeirantes. Agora, sem querer tomar muito o seu tempo, gostaria que tomasse conhecimento do trabalho do jornalista, radialista e professor universitário Jorge Serrão. Basta acessar o seu site www.alertatotal.net (com mais de 17 milhões de acesso) e logo você se deparará com um jornalismo sério e independente.

    Jorge Serrão, além de editor-chefe do site, é também responsável pela biografia do cabo Anselmo. Ambos estiveram na primeira edição do programa Roda Viva, da tevê cultura, deste ano. Finalizando, ao Jorge Serrão já indiquei o seu belíssimo blog.

    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir