A vida como ela é

Paula acabou de realizar o divórcio. Sete anos de casamento, dois filhos. Lucas fez concurso para o ministério público. É solteiro e adora viajar. Ana vai levando a relação com Pedro, cinco anos mais velho e doente de ciúme. Pedro tem uma amante, modelo de uma agência de publicidade que se chama Regina. Beatriz vive uma crise de depressão que já dura dois anos. Tentou suicídio uma vez. Marcos é namorador e não pensa em casar. Acha a vida uma beleza assim como está. Desidério faz filosofia na USP e especializa-se em Kant. Namora Márcia, que, todos dizem, mantém um caso com Rodrigo, seu ginecologista.

Paula casou de novo com o ex. Lucas é promotor em Londrina e assumiu um relacionamento homo com um agente de viagem. Ana decidiu viver só e espera o divórcio com Pedro, que teve um filho com Regina, que engordou e ficou feia. Mora sozinha, cria três cãezinhos poodle e não larga o computador. Beatriz curou a depressão e faz palestras para viciados em álcool. Marcos casou, separou, casou novamente e, dizem, agora está só. É soro-positivo e mora na Tailândia. Desidério faz doutorado na Sorbonne e vive com Giovana, uma imigrante italiana que reside em Paris. Márcia vive de brigas com Rodrigo, que deixou a medicina pelo mercado imobiliário.

Paula teve um infarto aos trinta e nove anos. Lucas é aidético terminal e transferiu-se para São Paulo. Ana arranjou um amante onze anos mais jovem. Pedro suicidou com uma overdose de anfetamina. Regina continua engordando. Beatriz juntou-se com um ex-alcoólatra. Não consegue engravidar e adotou uma menina. Marcos morreu na Tailândia e seus restos mortais estão enterrados em Pelotas, onde moravam os pais. Desidério é reitor de uma universidade no interior do Paraná. Márcia rompeu com Túlio, primo de Rodrigo, que perdeu uma perna num desastre de automóvel.

Lucas morreu há coisa de cinco anos. É nome de praça em Alegrete, onde nasceu. Ana ficou viúva e é acusada de ter contratado a morte do marido. Regina está mais gorda ainda. Beatriz está feliz da vida: engravidou depois dos quarenta e dedica-se ao tratamento do marido, que voltou a beber. Desidério aposentou-se do ensino superior e responde a processo em liberdade. Tentativa de estupro de uma ex-aluna de quem orientava tese de doutorado em Kant. Márcia reconciliou com Túlio, que é viciado em cocaína e tem três pontes, duas safenas e uma mamária. Rodrigo voltou ao consultório de ginecologia.

Esta semana, no aeroporto de Guarulhos, os oito conheceram-se pouco antes do embarque para a França, numa viagem de férias. Ana permanece sozinha. Tudo leva a crer que mandou mesmo matar o ex. Beatriz comenta como foi difícil enfrentar a doença do marido, que, pela cor dos olhos e o tremor das mãos, deve beber uma ou outra às escondidas. Desidério não larga a mão de Patrícia, a ex-aluna a quem supostamente tentara estuprar e que acabou de publicar o terceiro livro sobre Kant. Márcia está bem, apesar da idade. Sofreu muito com a morte de Túlio, ano e meio atrás. Rodrigo deixou outra vez a profissão e compra imóveis Brasil a fora. Viaja com Márcia, a quem diz não perdoar aquele affair prolongado com o Túlio - que Deus o tenha! -, o primo que o socorreu no dia do desastre. Aquele, em que perdeu a perna esquerda. E Regina, divertidíssima, já traça o terceiro sanduíche. Vai encontrar Giovana, amiga italiana que conheceu pela internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário